Prophylaxis – Clínica de Vacinação

INFORMAÇÕES PARA PROFISSIONAIS EM SAÚDE DA CRIANÇA

INFORMAÇÕES PARA PROFISSIONAIS EM SAÚDE DA CRIANÇA

Artigo traduzido da página do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos), atualizado em 20 de maio de 2020
https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/pediatric-hcp.html

MANTENDO A IMUNIZAÇÃO E O CUIDADO INFANTIL DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

Medidas de distanciamento social e quarentena resultaram no declínio das consultas pediátricas e no declínio na administração de vacinas, deixando crianças sob o risco de contraírem doenças preveníveis. Enquanto algumas autoridades desenvolvem planos e estratégias para a reabertura, os profissionais de saúde são encorajados a trabalharem com as famílias para manter a caderneta de vacinação das crianças em dia. Os médicos em comunidades afetadas pela COVID-19 devem continuar a usar estratégias de separação entre pacientes saudáveis e pacientes doentes. A seguir, alguns exemplos:

  • Agendamento de pacientes doentes e pacientes saudáveis em momentos diferentes do dia;
  • Redução de aglomeração nas salas de espera – pedir que os pacientes esperem do lado de fora (por exemplo, que esperem em seus veículos, se possível) até serem chamados ao consultório ou consulta, ou organizando cabines de triagem para a realização de consultas em pacientes seguramente;
  • Colaboração com os profissionais de saúde da comunidade para identificar locais exclusivos para o atendimento de crianças.

Os profissionais de saúde devem identificar as crianças que não compareceram às consultas de rotina e/ou deixaram de se vacinar e devem entrar em contato com os responsáveis individualmente, começando por recém-nascidos e progredindo para bebês até os 24 meses de idade, crianças e adolescentes. O acompanhamento da caderneta de vacinação de cada indivíduo, assim como o registro individual, podem dar suporte a este trabalho.
Todos os recém-nascidos devem ir ao pediatra logo após a liberação da maternidade (de três a cinco dias de idade). Idealmente, as consultas de recém-nascidos devem ser feitas pessoalmente durante a pandemia de COVID-19 para que se avalie hidratação e possível icterícia, e garanta que todos os exames no recém-nascidos tenham sido realizados. Ao longo do crescimento da criança, o acompanhamento deve ser mantido.

O FARDO DA COVID-19 ENTRE AS CRIANÇAS

Há registros de casos pediátricos de COVID-19 causados pelo coronavírus SARS-CoV-2. No entanto, há relativamente menos casos da doença em crianças quando comparados a casos em adultos.

  • Nos Estados Unidos, 2% dos casos confirmados se deram em pessoas menores que 18 anos.
  • Na China, 2,2% dos casos confirmados foram em menores de 19 anos.
  • Na Itália, 1,2% dos casos se deram em menores de 18 anos.
  • Na Espanha, 0,8% dos casos confirmados foram em menores de 18 anos.
  • No Brasil (até 17/05/2020), 0,6% dos óbitos por COVID-19 se deram em pessoas menores que 19 anos.

*Fonte: https://www.poder360.com.br/coronavirus/conheca-a-faixa-etaria-dos-mortos-por-covid-19-no-brasil-e-em-mais-5-paises/*

admin