SERVIÇOS PROPHYLAXIS

1ª DOSE DA VACINA CONTRA A HEPATITE B AO NASCER SALVA VIDAS


CADEIA DE FRIO

Imprimir     Enviar por e-mail

CONTROLE DE QUALIDADE

De acordo com as normas da Organização Mundial de Saúde (OMS), que regulamenta o uso das vacinas em todos os países, a Prophylaxis® estabeleceu metodologia rigorosa para seus armazenamento, manipulação e emprego das vacinas, exercendo controle cuidadoso de todos os seus serviços.

Para que uma vacina não perca sua potência, é indispensável que seja rigorosamente conservada na temperatura recomendada pelo laboratório produtor. Esta temperatura varia geralmente entre +2° C e +8° C, podendo algumas ser congeladas, outras não. Além disso, modificações no pH e na luz também intervém na desnaturação das vacinas.

Por isso, todas as Clínicas e Postos Avançados Prophylaxis® estão preparados para o correto transporte, armazenamento e manipulação de vacinas. Seu pessoal é treinado para garantir que em todas as vacinas sejam respeitados os padrões de controle indicados pelos órgãos de pesquisa, controle e fiscalização sanitária nacionais e internacionais. As unidades estão ainda equipadas com um Manual de Procedimentos, que traz detalhadamente as normas para armazenar e manipular cada vacina, indicando inclusive como agir no caso de uma eventualidade, como por exemplo, um pane de energia. Veja como garantimos a confiabilidade das nossas vacinas.

TRANSPORTE

O Transporte é feito em Caixas Isotérmicas, com quantidade adequada de acumuladores de frio, de modo a que as vacinas permaneçam na temperatura ideal. É necessário ainda verificar se os acumuladores de frio e as caixas de vacina estejam corretamente posicionados e observar os cuidados específicos para evitar o congelamento das vacinas inativadas. Termômetros de medição de temperaturas máxima e mínima garantem um monitoramento da temperatura dentro da caixa isotérmica. Em transportes longos, os acumuladores de frio são renovados regularmente.




ARMAZENAMENTO

As geladeiras são instaladas em locais frescos e ventilados de modo a permitir uma boa circulação de ar ao redor do aparelho. É importante que as vacinas estejam acomodadas nas prateleiras de forma que o ar frio possa circular, mantendo a temperatura adequada constante em todas as vacinas. As vacinas não devem ficar na porta da geladeira, lugar reservado aos diluentes. Tampouco devem ser acomodadas no congelador, onde devem ficar armazenados os acumuladores de frio. Estes devem estar sempre congelados para manter as vacinas geladas em caso de falta de luz ou avaria na geladeira. Nos casos de avaria da geladeira, as vacinas de uso do dia também devem ficar na caixa isotérmica, observando-se os devidos cuidados com relação ao monitoramento da temperatura no interior da caixa. Para aumentar o tempo de conservação, os acumuladores devem ser renovados regularmente, garantindo a conservação da temperatura adequada. Relógios elétricos são mantidos ligados na mesma tomada da geladeira para o controle de eventuais piques de luz ocorridos fora do horário de funcionamento da clínica. Estes relógios são checados todas as manhãs, na hora de abertura da clínica. Desta forma, a Prophylaxis® pode monitorizar a chamada cadeia de frio e se proteger de possíveis danos à potência das vacinas. O controle da manutenção da temperatura das geladeiras, é feito através de registros nas planilhas de controle das temperaturas máximas e mínimas de cada geladeira, de acordo com as normas da OMS e das Secretarias de Vigilância Sanitária.

MANIPULAÇÃO

A manipulação das vacinas é feita sempre na presença dos clientes para que estes possam comprovar o respeito às normas de assepsia e rigor dos procedimentos. A PROPHYLAXIS® controla continuamente os prazos de validade das vacinas. Antes da aplicação de cada vacina, os atendentes mostram ao cliente sua procedência e prazo de validade.

É fundamental também que a vacinação seja realizada de acordo com as orientações contidas nos Procedimentos Técnicos sobre vacinação e na solicitação do médico do cliente. Após a vacinação, o cliente é orientado sobre as reações que podem ocorrer. A Prophylaxis® trabalha quase que exclusivamente com vacinas em apresentação de dose individual o que, entre outras vantagens, diminui a possibilidade de erro humano. É necessário que as vacinas que se apresentem em doses múltiplas dentro do frasco – como por exemplo o BCG – sejam utilizadas dentro do prazo de tempo recomendado pelo fabricante. Esses procedimentos contemplam ainda uma correta manipulação do lixo hospitalar. Agulhas, frascos, ampolas e seringas devem ser desprezados em coletor de material pérfuro – cortante, devidamente identificado como lixo hospitalar.

Comments are closed.