Alerta Sarampo 2018

Julho 2018

O sarampo, que já era considerado pela OPAS (Organização Panamericana de Saúde) uma “doença eliminada” no Brasil desde 2002, voltou a nos atemorizar com surtos no Ceará e em Pernambuco em 2014/2015, sendo novamente combatido com campanhas de vacinação maciças e considerado “eliminado” pela OMS em 2016. Agora, mais uma vez, se torna protagonista e uma ameaça real em nosso território.

Desde julho de 2017 a Venezuela vem enfrentando uma epidemia de Sarampo, com graves consequências para o Brasil. Com a questão sócio-política e econômica e pela proximidade geográfica, tem havido intenso fluxo migratório da população venezuelana para os estados de Roraima e do Amazonas, o que tem acarretado surto da doença nestes 2 estados brasileiros. Na última semana, já foram
registrados casos de sarampo também nos estados do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, tendo sido declarado estado de emergência em Manaus.

O sarampo é uma doença aguda, altamente transmissível de pessoa a pessoa, que evolui com febre alta e grande comprometimento do estado geral, podendo causar complicações graves como problemas cardíacos, pneumonia, encefalite e morte.

 

PREVENÇÃO

A vacina contra o Sarampo é a ferramenta mais eficaz de proteção contra esta doença e é usada de rotina desde a década de 70.

As vacinas atualmente utilizadas são a tríplice viral (que protege contra o Sarampo, a Rubéola e a Caxumba) – e a tetra viral (que protege também contra a varicela), que devem ser administradas em esquema de 2 doses em todas as pessoas após o 1º. ano de vida.

Para que consigamos manter o Sarampo sob controle, é fundamental mantermos uma alta cobertura vacinal em nosso país, como até então vínhamos tendo, com 90 a 95% da população até 5 anos de idade completamente vacinada.

ATENÇÃO!

VAMOS OLHAR AS CADERNETAS DOS NOSSOS FILHOS PARA TER A CERTEZA QUE FORAM FEITAS 2 DOSES
e aplicar, se necessário, a dose que falta. Adultos também precisam de duas doses da vacina, que podem ser aplicadas com intervalo mínimo de 1 mês.