Se você tiver problemas para exibir esta mensagem, consulte a versão online
BOLETIM ONLINE | SETEMBRO 2017  |  EDIÇÃO 1

Telefone  (+55 21) 2495-1020      |      Email  atendimento@prophylaxis.com.br

PROPHYLAXIS

ALERTA SARAMPO

O sarampo é uma das principais causas de morte em crianças de baixa idade embora exista uma vacina com quase 100% de efetividade. Existe um risco potencial de infecção do cérebro e do pulmão que pode ser muito grave e até levar ao óbito.

 

Foi emitido um alerta da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre um surto de sarampo na Europa com muitos países atingidos: Áustria, Alemanha, Bélgica, Croácia, Espanha, França, Itália, Polônia, Romênia, República Tcheca e Suécia. Desde janeiro de 2016 já foram notificados mais de 14.000 casos na Europa. Até 11 de julho já tinham ocorrido 35 mortes.

 

Na Itália, um dos países mais atingidos, 89% dos que tiveram sarampo não eram vacinados; 6% só receberam uma dose. A maior incidência ocorreu no adulto jovem.

 

O que isso importa para o Brasil?

A região das Américas (Brasil incluído) foi a primeira a ser considerada “livre do sarampo” em 27 de setembro de 2016. As outras 5 regiões do mundo têm como meta alcançar a eliminação do sarampo até 2020.

 

O sarampo permanece endêmico (manutenção constante de casos) em várias regiões do mundo: Europa, Ásia, Oriente Médio, Países do Pacífico e África.

 

Para que um país ou região continue “livre de sarampo e rubéola” há necessidade de continuar mantendo altas coberturas vacinais para a vacina tríplice viral (sarampo, rubéola, caxumba), principalmente na população infantil.

 

Se tivermos grupos etários como crianças, adolescentes e adultos jovens não vacinados, existe risco constante do vírus ser reintroduzido em nosso país já que ele continua circulando em outras regiões e o fluxo de pessoas que se deslocam das várias regiões do mundo é cada vez maior.

 

Só é considerada vacinada, isto é, protegida contra o sarampo, a pessoa que tiver recebido 2 doses da vacina após 1 ano de idade (efetividade de 97% para prevenir o sarampo).

 

Na criança, a primeira dose é aplicada aos 12 meses de idade. Para a segunda dose, a recomendação é que seja aplicada entre 4 e 6 anos de idade, porém, havendo necessidade pode ser aplicada observando o intervalo de 28 dias após a primeira dose.

 

Adolescentes e adultos que não tiveram sarampo ou não vacinados devem receber 2 doses da vacina com intervalo de pelo menos 28 dias. Viajantes devem seguir o esquema recomendado para adolescentes e adultos. Se for criança, seguir o mesmo esquema de 2 doses após 1 ano de idade.

 

Outro fato importante é que os casos suspeitos de sarampo devem ser notificados o mais rápido possível seguidos de um bloqueio vacinal de imediato, isto é, vacinar todas as pessoas não vacinadas ou vacinadas com apenas uma dose e que tiveram contato com o caso.

 

Para isso é importante que os profissionais de saúde notifiquem os casos suspeitos de imediato à secretaria de saúde do seu estado.

No Rio de Janeiro: tel: (21) 2333-6553 | e mail: notifica@saude.rj.gov.br.

Fontes:

  • Epidemiological Alert – Measles outbreak in Europe. Implications for the Americas. 4 May 2017.
  • Sarampo: Transmissão na Europa, SES/RJ; subsecretaria de vigilância epidemiológica e ambiental.
  • Alerta Sarampo Viajante- divisão de doenças de transmissão respiratória/SES/SP - maio -2017.