GRIPE OU INFLUENZA

A GRIPE é causada pelo vírus influenza que acomete a população de todo o mundo. Isto ocorre, de uma maneira geral, nos meses de inverno. Pode causar doença leve a grave e até causar a morte. Este vírus é capaz de produzir epidemias com frequência, inclusive pandemias – Gripe espanhola em 1918, pandemia pelo H1N1 em 2009.

O vírus

Uma característica importante do vírus da influenza é que ele sofre mutações com frequência. Os tipos mais importantes são o A e o B. O A é o que mais causa surtos e epidemias. O B evolui mais lentamente, mas, também pode desencadear surtos e epidemias. Os subtipos do A que circulam com mais frequência são o A H1N1 e o A H3N2.

 O vírus que se disseminou em 2009 (H1N1) que fez a OMS declarar uma pandemia continua circulando e causando surtos com ocorrência de casos graves e morte nos grupos de risco: adultos com doenças crônicas, pessoas que vivem em abrigos, crianças menores de 5 anos, gestantes e adultos jovens . Os casos graves evoluem com insuficiência respiratória muito importante.

Como se transmite?

A gripe se dissemina principalmente pela tosse e espirro ou quando a pessoa toca algum objeto contaminado pelo vírus e depois leva a mão à boca ou ao nariz. O vírus tem a capacidade de permanecer por muitas horas nos objetos.

Como se previne a gripe?

Principalmente com a VACINA da Influenza ou Gripe.

A Organização Mundial Da Saúde (OMS) recomenda a vacinação universal com a finalidade de expandir a proteção para a gripe para um maior número de pessoas. Esta decisão está baseada na certeza de que a vacina da influenza é segura e efetiva e traz benefício para todas as idades. A vacina é inativada (vírus mortos) e pode ser aplicada junto com outras vacinas do calendário vacinal de rotina inclusive com a vacina da febre amarela, em locais separados.

Ela deve ser aplicada antes do inverno e deve continuar por todo o período do inverno.

A vacina é recomendada para toda pessoa a partir de 6 meses de idade.

Quais são as pessoas que têm maior risco?

Os grupos que são considerados de risco podem ter sérias complicações. São eles:

·         Crianças menores de 2 anos

·         Gestantes

·         Pessoas com doenças crônicas

·         Pessoas com o sistema imunológico enfraquecido

·         Pessoas de 65 anos e mais

A vacina deve ser aplicada também em cuidadores e parentes que vivem ou cuidam de pessoas de alto risco para complicações.

Qual é a composição da vacina para 2017?

A formulação da vacina é definida por laboratórios internacionais ligados a OMS de acordo com os vírus que estão circulando tanto no hemisfério sul como no hemisfério norte.

Composição das vacinas influenza utilizadas no Brasil para 2017:

1- Vacina influenza trivalente –  3 tipos de cepas:

·         vírus A/Michigan/45/2015 (H1N1)

·         vírus A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2)

·         vírus B/Brisbane/60/2008

2- Vacina influenza quadrivalente – contém 2 tipos de vírus B

·         aos 3 tipos de vírus da trivalente acrescenta-se o vírus B/Phuket/3073/2013.

Qual o esquema vacinal?

·         Crianças que vão vacinar pela primeira vez devem receber 2 doses com intervalo mínimo de 4 semanas. De 6 m a 2 anos – 0,25ml; de 3 a 8 anos-0,50 ml

·         Crianças que receberam uma ou duas doses da vacina em 2016 devem receber apenas 1 dose em 2017

·         Crianças a partir de 9 anos, adolescentes e adultos – dose única de 0,5 ml.

Quem não deve ser vacinado?

·         Pessoa com alergia grave a ovo de galinha.

·         Pessoa que tenha tido alergia grave à vacina de influenza numa vacinação anterior.

·         Crianças menores de 6 meses de idade.

·          História de síndrome de Guillain-Barré.

·         Pessoas com doença moderada ou grave, com febre deve adiar a vacinação até que esteja recuperada.

 

Eventos adversos:

Os mais comuns são:

·         Dor, inchaço e vermelhidão no local da aplicação.

·         Febre baixa ou moderada.

·         Dores musculares.