Mmr

SARAMPO, CAXUMBA, RUBÉOLA (Tríplice viral)

 

1 – O que são estas doenças?

São doenças infecciosas, transmissíveis e causadas por vírus: o vírus do sarampo, o vírus da caxumba e o vírus da rubéola.

A transmissão se dá de pessoa a pessoa, por via respiratória, quando a pessoa fala (gotículas de saliva), quando a pessoa tosse ou espirra e também através das mãos contaminadas quando a pessoa que apresenta a doença põe a mão na boca e no nariz e toca objetos que também ficam contaminados.


Sarampo

• O vírus do sarampo causa febre alta, dores musculares, coriza, muita tosse, irritação nos olhos tipo conjuntivite, erupções cutâneas que se espalham por todo o corpo. 

• Ele pode complicar com infecção do ouvido, pneumonia, convulsões (contrações musculares e olhar fixo), danos cerebrais e morte.


Caxumba

• O vírus da caxumba causa febre, dores de cabeça, dores musculares, perda de apetite e inchaço nas glândulas salivares que se localizam nos lados da face (parótidas) e abaixo da mandíbula (sub maxilares).  

• A caxumba pode dar complicações como surdez, meningite (infecção do revestimento da medula espinhal e do cérebro), inchaço doloroso dos testículos ou ovários e, raramente, esterilidade.


Rubéola

O vírus da rubéola causa erupção na pele, aumento de gânglios no pescoço (cervicais) e na nuca (sub occipitais), artrite (principalmente em mulheres) e febre moderada.


• Se uma mulher contrair rubéola enquanto estiver grávida, ela pode sofrer um aborto ou o bebê pode nascer com problemas graves como surdez, cegueira, retardo mental – Rubéola Congênita.


2 – Por que tomar a vacina?

Sarampo, caxumba e rubéola são doenças graves. Antes do advento das vacinas elas eram muito comuns, especialmente em crianças.

A vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) pode proteger crianças e adultos contra as três doenças. É uma vacina viva atenuada.

Graças a programas de vacinação bem sucedidos, essas doenças são muito menos comuns do que costumavam ser. O sarampo é considerado controlado no Brasil. A rubéola congênita está praticamente eliminada do território nacional e a caxumba mostra diminuição importante do número de casos. Mas, se parássemos com a vacinação, elas voltariam a aparecer.


3 – Quem deve ser vacinado e quando?

Crianças devem tomar duas doses da vacina tríplice viral:

· Primeira dose: entre 12 e 15 meses de idade

· Segunda dose: entre 4 e 6 anos de idade (pode ser feita antes disso, mas pelo menos 30 dias após a primeira dose) 


· Alguns adultos também devem tomar a vacina tríplice viral: de modo geral, qualquer pessoa maior de 18 anos que tenha nascido após o ano de 1956, deve receber pelo menos uma dose da vacina tríplice viral, a menos que a pessoa possa comprovar que já foi vacinada ou que já teve as 3 doenças.

. A vacina tríplice viral pode ser aplicada ao mesmo tempo que outras vacinas.


4 – Quem não deve tomar a vacina?

· Não devem tomar a vacina pessoas que já tiveram uma reação alérgica grave à dose anterior da vacina tríplice viral.

· Não devem tomar a vacina pessoas que têm alergia importante ao ovo (a vacina é produzida em ovos embrionados).

· Não devem tomar a vacina pessoas que já tiveram alguma reação alérgica grave ao antibiótico neomicina ou a outro componente da vacina tríplice viral. Informe seu médico caso você tenha alguma alergia grave.

· Pessoas que estiverem doentes na data marcada para a vacina devem ser aconselhadas a se vacinarem após recuperação da doença.

· Mulheres grávidas não devem tomar a vacina tríplice viral. Mulheres que precisarem tomar a vacina devem recebê-la após o parto. As mulheres devem evitar engravidar nas quatro semanas seguintes à vacinação com a tríplice viral.

· Pessoas que tenham HIV/AIDS ou alguma outra doença que afete o sistema imunológico

· Pessoas que estejam sendo tratadas com medicamentos que afetem o sistema imunológico, como corticoides por um tempo prolongado

· Pessoas que tenham algum tipo de câncer

· Pessoas que estejam tratando câncer com radiação ou medicamentos

· Pessoas que já tenham tido contagem baixa de plaquetas

· Pessoas que tenham recebido uma transfusão de sangue ou derivados de sangue recentemente


Qualquer um desses fatores pode ser um motivo para deixar de tomar a vacina ou adiar a vacinação.

A vacina tríplice viral pode ser aplicada simultaneamente com outra vacina viva atenuada (febre amarela, varicela). Porém, se não for aplicada no mesmo momento, a outra vacina viva só poderá ser aplicada 30 dias depois da aplicação da tríplice viral. As vacinas inativadas podem ser aplicadas simultaneamente com a tríplice viral ou com qualquer intervalo de tempo.



5 – Quais são os riscos da vacina?

Uma vacina, como qualquer outro medicamento, pode causar problemas sérios como reações alérgicas graves.

O risco da vacina tríplice viral causar danos graves ou morte é extremamente raro.

Tomar a vacina tríplice viral é muito mais seguro do que contrair sarampo, caxumba ou rubéola.

A maioria das pessoas que toma a vacina tríplice viral não tem nenhum problema grave com ela. 


. Problemas leves 


. Febre (até 1 pessoa a cada 6)


.  Erupções cutâneas brandas (cerca de 1 pessoa em 20)


. Inchaço das glândulas nas bochechas ou pescoço (cerca de 1 pessoa em 75)


Quando ocorrem, esses problemas normalmente aparecem de 6 a 14 dias a partir da vacinação. Eles ocorrem com menor frequência após a segunda dose. 


Problemas moderados 


. Convulsões (contrações musculares ou olhar fixo) causadas por febre (cerca de 1 a cada 3.000 doses)

. Dor temporária das articulações, especialmente em mulheres adolescentes ou adultas (até 1 a cada 4)

. Baixa contagem de plaquetas temporária, que pode causar disfunção relacionada ao sangramento (cerca de 1 a cada 30.000 doses da vacina).

Problemas graves (Muito raros)

. Reação alérgica grave (menos de 1 em 1 milhão de doses)

Esses sintomas se apresentariam alguns minutos ou algumas horas depois da aplicação da vacina. Sinais de uma reação alérgica grave podem incluir pápulas em forma de colmeia pelo corpo (urticária), inchaço dos lábios e olhos (edema de Quinck), dificuldade para respirar (edema de glote), palidez intensa, batimentos cardíacos acelerados, tontura e fraqueza (choque anafilático).  

O que eu devo fazer?

Se achar que os sintomas indicam uma reação alérgica grave ou outra emergência que não pode esperar leve a pessoa imediatamente a um hospital mais próximo e comunique ao seu médico.