Viagem Segura

Capítulo V – Malária

Não existe vacina para a malária.
A prevenção se faz com medidas para evitar picadas de mosquitos e com o uso de medicamentos específicos durante a viagem quimioprofilaxia.
A atividade do mosquito que transmite a malária (Anopheles) se dá do entardecer ao amanhecer. O pico de atividade do mosquito é às 2 horas da madrugada, por isso o período de maior proteção deve ser à noite, quando as pessoas dormem.

A quimioprofilaxia não impede que a pessoa seja infectada quando picada pelo mosquito transmissor, porém, previne a evolução da doença para formas graves. Para isso o viajante deve ser orientado pelo serviço de medicina de viagem que vai avaliar os cuidados a serem prescritos levando em conta:
   A) o tempo em que ele vai permanecer no local de risco.
   B) as condições de hospedagem – hotel com ar condicionado ou não, acampamento, casa de parentes ou amigos, e outros.
   C) permanência em área urbana com boa infra-estrutura ou em áreas rurais ou em cidades com saneamento básico deficiente.

   D) tipo de atividade – safari, trilhas em matas ou florestas, etc.

Muito importante é saber se no local existe possibilidade de atendimento médico em 24h, quanto mais cedo se iniciar o tratamento maior a possibilidade de cura.
Se o viajante for permanecer longe de serviços de saúde, pode-se até indicar o auto-tratamento, isto é, ele leva consigo um kit tratamento que inicia aos primeiros sinais de febre enquanto se dirige a um local que tenha atendimento médico.