Prophylaxis – Clínica de Vacinação

Meningite – O que você deve saber!

O que é Meningite?

É uma deficiência infecciosa aguda, grave que acomete uma membrana que recobre o cérebro. Pode evoluir com sequelas graves e em 10% a 15% dos casos levar a morte. Acomete principalmente crianças até 10 anos de idade e adolescentes.

Qual agende infeccioso causa a meningite?
Pode ser causada por vírus, bactéria e fungos. As mais graves são as meningites bacterianas e entre essas as meningites meningogócicas, causada pelo “meningococo”, bactéria que se transmite através do contato com pessoas doentes ou portadoras (pessoas que tem meningococo alojado na garganta, porém não ficam doentes) e é responsável pelas epidemias.Também pode causar a meningococcemia que é uma forma mais grave ainda, com a presença do meningococo no sangue, e comprometimento geral do organismo, permitindo assim o uso do termo “doença meningocócica”.

Porque existem vacinas com siglas diferentes se todas são contra a doença meningococócica?
É uma classificação que leva em conta os componentes da cápsula meningococo que constituem 12 sorogrupos. Cinco deles são responsáveis pela quase totalidade dos casos no mundo: A, B, C, W e Y. A vacina desencadeia a produção de anticorpos que vão dar proteção ao indivíduo para que ele não adquira a doença. Ela é sempre específica, para cada sorogrupo. Assim, a vacina meningocócica C conjugada vai dar proteção apenas para a meningite produzida pelo meningogoco C.

Quais vacinas dispomos para combater esse microorganismo tão agressivo?
Existem 3 vacinas: as vacinas conjugadas C e ACWY e a vacina contra meningite B. Atualmente no Brasil, a maior incidência é do meningococo C, havendo uma menor participação do sorogrupo B e já se observa certo aumento do sorogrupo W (w135) e do Y. As vacinas conjugadas têm elevada eficácia inclusive para menores de 1 ano e conferem proteção prolongada. A vacina meningocócica C foi incluída no calendário público do Brasil desde 2010, para crianças de 2 meses a 2 anos de idade. As vacinas ACWY e B só estão disponíveis na rede privada de vacinação.

Vacina Meningocócica Conjugada C
Indicada para prevenção da doença meningocócica pelo sorogrupo C em crianças, adolescentes e adultos.
ESQUEMA DE VACINAÇÃO
Crianças: 2 doses e um reforço aos 12 meses de idade.
– o reforço também pode ser feito com a vacina ACWY.
As doses podem ser aplicadas aos 2 e 4 meses de idade
– o reforço também pode ser feito com a vacina ACWY.

Vacina Meningocócica Conjugada ACWY
Existem 2 tipos de vacinas de 2 laboratórios diferentes: uma que foi autorizada recentemente pela ANVISA para uso no Brasil para crianças a partir de 2 meses de idade (laboratório Novartis) e outra autorizada apenas para crianças a partir de 12 meses de idade (laboratório Pfizer), em dose única. É Indicada para imunização de crianças, adolescentes e adultos. Como a doença meningocócica tem alta incidência em menores de 1 ano é importante iniciar a vacinação aos 2 meses de idade.
ESQUEMA DE VACINAÇÃO:
Início: 2-6 meses- 3 doses com intervalo mínimo de 2 meses
Uma dose de reforço aos 12 meses, 6 anos e 11 anos.
Início: 7-23 meses- 2 doses, sendo a 2ª dose administrada aos 12 meses e com intervalo mínimo de 2 meses da 1ª dose.
– Reforço aos 5 anos após a última dose e aos 11 anos de idade.
Início: a partir de 2 anos- dose única + reforço 5 anos após a última dose e aos 11 anos.
– Adolescentes- 11 a 15 anos – 1 dose + intervalo entre 16 e 18 anos.

Vacina Meningocócica B – vacina recombinante
É indicada para crianças imunização de crianças a partir de 2 meses de idade. Também indicada para imunização de adolescentes e adultos até 50 anos de idade.
ESQUEMA DE VACINAÇÃO:
Início entre 2 e 5 meses – 3 doses (2,4,6 meses). Reforço entre 12 e 23 meses.
Início entre 6 e 11 meses – 2 doses (intervalo mínimo 2 meses)
Início – 1 a 10 anos – 2 doses (intervalo mínimo de 2 meses)
11 anos – 2 doses – (intervalo mínimo de 1 mês)
– Necessidade de reforço ainda não estabelecida.

As vacinas contra a doença meningocócica são seguras e com raros eventos adversos, como reações locais (inchaço e dor) e febre baixa e passageira. A pessoa vacinada além de estar se protegendo, ela está contribuindo para diminuir a circulação de vírus e bactérias causadores de doenças que podem afetar as pessoas a sua volta – seus filhos, seus pais, seus avós, seus amigos, especialmente aquelas em situação de maior fragilidade e risco. Quanto mais gente é vacinada melhor funciona a vacina, podendo trazer benefícios também a pessoas que não tomaram a vacina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *