Prophylaxis – Clínica de Vacinação

RAIVA

Doença

Doença viral fatal transmitida através da mordedura de animais domésticos e silvestres contaminados. Morcegos, cachorros, gatos, gambás, gado e cavalos são os maiores transmissores da doença.

QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO

“Toda pessoa que for potencialmente exposta ao vírus da raiva, seja por motivos profissionais seja por uma exposição única (Ex: mordedura por animal potencialmente transmissor do vírus) deve ser vacinada”.
Vacina utilizada: vacina contra a raiva (célula Vero)”.

Esquema de vacinação:
• Vacinação pré-exposição: A vacinação antes de haver a potencial infecção (mordedura) é indicada para pessoas que apresentam um risco aumentado de exposição ao vírus da raiva, como certos profissionais (Ex: veterinários) ou viajantes (turismo ecológico).
Este esquema vacinal prevê 3 doses da vacina, com intervalos de 7 e 21 dias após a primeira após a 1ª dose respectivamente. Caso o risco de infecção permaneça, recomenda-se ainda uma dose de reforço da vacina a cada 3 anos. Caso a pessoa vacinada seja mordida por um animal potencialmente transmissor da raiva, uma avaliação médica é necessária para a complementação do esquema de imunização.
• Vacinação pós-exposição: Indicada após haver a potencial infecção (mordedura). O esquema de vacinação pós-exposição ao vírus deve ser avaliado caso a caso.

IMPORTANTE:
Dependendo da gravidade da exposição ao vírus da raiva, o uso do soro ou da imunoglobulina anti-rábica pode ser necessário.

QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

Como a raiva é uma doença fatal, a pessoa exposta ao vírus da raiva deve ser vacinada a despeito de quaisquer doenças ou alergias que possa ter.