Prophylaxis – Clínica de Vacinação

RUBÉOLA

Doença

A Rubéola é uma doença viral aguda, altamente transmissível de pessoa a pessoa por via respiratória, que evolui com febre alta e erupção cutânea. A gravidade se dá quando ocorre em gestantes (principalmente nas primeiras 16 semanas de gestação) podendo resultar em aborto espontâneo, morte fetal ou na temida Síndrome da Rubéola Congênita (surdez, cegueira e retardo mental do bebê)

QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO

“A Rubéola pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a partir dos 12 meses de idade”.

Existem 2 formulações de vacina contra a Rubéola, todas combinadas:
• Vacina tríplice viral: vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola.
• Vacina tetra-viral: vacina contra Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela.
As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma única formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.

Esquema de vacinação:
• Crianças: devem receber a primeira dose da vacina a partir dos 12 meses de idade e a dose de reforço com um intervalo mínimo de 3 meses (aos 15 meses ou entre 4-6 anos de idade). Pode-se usar tanto a vacina tríplice viral quanto a vacina tetra-viral.
• Adolescentes e adultos (nunca vacinados e que nunca contraíram a doença): devem receber 2 doses da vacina, com intervalo mínimo de 1 mês entre elas. A vacina de escolha é a vacina tríplice viral.

QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

• Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre.
• Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes, incluindo ovo (vide bula). Crianças abaixo dos 12 meses de idade (considerar a vacinação a partir dos 9 meses como dose extra em casos específicos).
• Gestantes ou mulheres em fase de lactação. – Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de medicação / tratamento imunossupressor.
• Pessoas que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses.