Prophylaxis – Clínica de Vacinação

DOENÇAS

*QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO

*QUEM NÃO DEVE SER VACINADO - ALERTAS

CAXUMBA

1 – DOENÇA
A Caxumba é uma doença viral aguda que afeta primariamente a glândula parótida. É altamente transmissível através da saliva ou de secreções provenientes do oro-faringe. Os sintomas mais comuns são febre, dor-de-cabeça, dor muscular e inchaço da glândula parótida. A maioria das pessoas se recupera completamente entretanto, ocasionalmente, a Caxumba pode evoluir com complicações (especialmente entre adultos), como encefalite, meningite (em até 15% dos casos), inflamação dos testículos ou ovários, inamação do pâncreas e surdez.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“A Caxumba pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a partir dos 12 meses de idade”.
Existem 2 formulações de vacina contra a Caxumba, todas combinadas # :
  – Vacina tríplice viral: vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola – Vacina tetra-viral: vacina contra Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma única formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:
– Crianças: devem receber a primeira dose da vacina a partir dos 12 meses de idade e a dose de reforço com um intervalo mínimo de 3 meses (aos 15 meses ou entre 4-6 anos de idade). Pode-se usar tanto a vacina tríplice viral quanto a vacina tetra-viral.
– Adolescentes e adultos (nunca vacinados e que nunca contraíram a doença): devem receber 2 doses da vacina, com intervalo mínimo de 1 mês entre elas. A vacina de escolha é a vacina tríplice viral.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes, incluindo ovo (vide bula).
– Crianças abaixo dos 12 meses de idade (considerar a vacinação a partir dos 9 meses como dose extra em casos específicos)
– Gestantes ou mulheres em fase de lactação.
– Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de medicação / tratamento imunossupressor.
– Pessoas que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses

COQUELUCHE (OU PERTUSSIS)

1 – DOENÇA
A Coqueluche é uma doença respiratória aguda causada pela bactéria Bordetella pertussis. Provoca ataques de tosse intensos que dificultam a deglutição e a respiração, podendo levar à pneumonia, convulsões, danos cerebrais e morte.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“A Coqueluche, apesar de mais grave na criança pequena, pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a partir dos 2 meses de idade.”
Existem várias formulações de vacina contra a Coqueluche, todas combinadas # contra outras doenças:
– Vacinas indicadas abaixo dos 7 anos de idade:
. Vacina tríplice bacteriana (DTaP / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular
. Vacina tetravalente (DTaP + Polio / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
. Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite e Haemophilus b
. Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite, Haemophilus b e Hepatite B
– Vacinas indicadas a partir dos 7 anos de idade:
. Vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular
. Vacina tetravalente (dTap + Polio /uso adulto): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma só formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir de 2 meses de idade: devem receber 3 doses da vacina (aos 2, 4 meses e 6 meses) e 2 doses de reforço (entre 12-15 meses e entre 4-6 anos de idade). Normalmente a vacina utilizada nesta faixa etária é uma vacina combinada. Ex: Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil) ou Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil)
– Adolescentes e adultos: devem receber no mínimo 1 dose da vacina tríplice bacterina (dTap / uso adulto) , mesmo tendo sido vacinados na infância
OBS – O reforço da vacina contra o Tétano e a Difteria deve ser feito a cada 10 anos, podendo ser utilizada a vacina dupla (dT / uso adulto) ou a vacina tríplice bacteriana uso adulto (dTap)
– Gestantes: devem receber 1 dose da vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto) a cada gestação

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças abaixo de 6 semanas de vida ou a partir dos 7 anos de idade (para vacinas de uso infantil)
– Crianças abaixo dos 7 anos de idade (para vacinas de uso adulto)
– Pessoas com história de doença neurológica (Ex: convulsão, encefalopatia) – consultar um médico  

DENGUE

1 – DOENÇA
Doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, a Dengue causa normalmente febre alta, dor de cabeça, dores no corpo e articulações, fraqueza e coceira / erupção cutânea. Pode evoluir para uma forma grave com dor abdominal intensa, vômitos e sangramento de mucosas, podendo ser fatal.
Existem 4 tipos diferentes de vírus da Dengue.


2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO

“Crianças e adultos entre 9 e 45 anos de idade, residentes em áreas endêmicas e com história pregressa da doença confirmada através de resultado de sorologia (IgG positiva para Dengue)”.
Vacina: Vacina contra a Dengue (sorotipos 1, 2, 3 e 4), atenuada e recombinante
Esquema de vacinação: 3 doses da vacina, com intervalo de 6 meses entre as doses
IMPORTANTE: O “Teste Rápido” para diagnóstico da Dengue não serve como confirmação da doença pregressa
para a vacinação.


3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

– Crianças abaixo dos 9 anos e adultos acima de 45 anos
– Portadores de doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes, incluindo fenilalanina (vide bula).
– Gestantes e mulheres que estão amamentando
– Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de medicação / tratamento imunossupressor.
– Pessoas que receberam imunoglobulina, plasma ou sangue total a menos de 3 meses (mínimo de 6 semanas)
– Pessoas sem história prévia de Dengue (sem sorologia positiva para Dengue)

DIFTERIA

1 – DOENÇA
A Difteria é uma doença aguda, de transmissão respiratória, causada pela bactéria Corynebacterium diphtheriae, que produz uma toxina que leva à formação de uma membrana espessa na parte posterior da garganta (podendo causar asfixia), paralisia, insuficiência cardíaca e até mesmo à morte.


2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO

“A Difteria pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a partir dos 2 meses de idade”.
Existem várias formulações de vacina contra a Difteria, todas combinadas # contra outras doenças:
– Vacinas indicadas abaixo dos 7 anos de idade:
. Vacina tríplice bacteriana (DTaP / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular
. Vacina tetravalente (DTaP + Polio / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
. Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite e Haemophilus b
. Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite, Haemophilus b e Hepatite B
– Vacinas indicadas a partir dos 7 anos de idade:
. Vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular
. Vacina tetravalente (dTap + Polio /uso adulto): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma
só formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir de 2 meses de idade: devem receber 3 doses da vacina (aos 2, 4 meses e 6 meses) e 2 doses de reforço (entre 12-15 meses e entre 4-6 anos de idade). Normalmente a vacina utilizada nesta faixa etária é uma vacina combinada. Ex: Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil) ou Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil)
– Adolescentes e adultos: devem receber no mínimo 1 dose da vacina tríplice bacterina (dTap / uso adulto), mesmo tendo sido vacinados na infância.
OBS – O reforço da vacina contra o Tétano e a Difteria deve ser feito a cada 10 anos, podendo ser utilizada a vacina dupla (dT) ou a vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto)
– Gestantes: devem receber 1 dose da vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto) a cada gestação


3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças abaixo de 6 semanas de vida ou a partir dos 7 anos de idade (para vacinas de uso infantil)
– Crianças abaixo dos 7 anos de idade (para vacinas de uso adulto)
– Pessoas com história de doença neurológica (Ex: convulsão, encefalopatia) – consultar um médico

DOENÇA CAUSADA PELO HAEMOPHILUS b

1 – DOENÇA
O Haemophilus influenzae do tipo b (Hib) é uma bactéria que causa doença invasiva e grave, principalmente em crianças abaixo dos 5 anos de idade. É transmitida de pessoa a pessoa por via respiratória e pode causar meningite, pneumonia e epiglotite.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“Toda criança entre 2 meses de idade e 5 anos deve ser vacinada contra o Haemophilus b.”
Existem várias formulações de vacina contra o Hemophilus b:
– Vacina isolada : Vacina contra o Haemophilus b
– Vacinas combinadas # :
. Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite e Haemophilus b
. Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite, Haemophilus b e Hepatite B.
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma só formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir de 2 meses de idade: devem receber 3 doses da vacina (aos 2, 4 meses e 6 meses) e 1 dose de reforço entre 12-15 meses de idade. Normalmente a vacina utilizada nesta faixa etária é uma vacina combinada
Ex: Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil) ou Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil)
– Vacinação de crianças acima de 5 anos e adultos: é indicada somente para pessoas com certas doenças clínicas (Ex: Doença pulmonar obstrutiva crônica, esplenectomia e diabetes). Normalmente a vacina utilizada nesta faixa etária é a vacina isolada: Vacina contra o Haemophilus b

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças com menos de 6 semanas de idade.
– Gestantes (considerar a possibilidade nos grupos de risco; um médico deve ser consultado)

DOENÇA PNEUMOCÓCICA

1 – DOENÇA
É a doença causada pela bactéria Streptococcus pneumoniae (pneumococo), normalmente transmitida de pessoa a pessoa através da via respiratória. O pneumococo possui várias “cepas” que podem causar diferentes doenças como otite, pneumonia e meningite.
A idade é o principal fator de risco para a doença pneumocócica, onde crianças abaixo de 5 anos e adultos a partir de 65 anos são mais susceptíveis. Pessoas com certas condições clínicas e fumantes também são considerados grupos de risco.


2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO

“Toda criança entre 2 meses e 5 anos de idade e adulto a partir dos 65 anos de idade deve ser vacinado contra o
pneumococo.”
Existem 2 tipos de vacina anti-pneumocócicas:
. Vacina anti-pneumocócia conjugada (10 ou 13-valente)
. Vacina anti-pneumocócica polissacarídica 23-valente.
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir dos 2 meses de idade: devem receber 3 doses da vacina anti-pneumocócica conjugada (10 ou
13-valente) a partir dos 2 meses de idade (aos 2, 4 e 6 meses) e uma dose de reforço da vacina entre 12-15 meses de idade.
OBS – As vacinas anti-pneumocócicas conjugadas (10 e 13 valente) não devem ser usadas de forma intercambiável em um esquema vacinal.
– Adultos a partir 65 anos: devem receber os 2 tipos de vacinas – iniciar de preferência com uma dose da vacina anti-pneumocócica conjugada (10 ou 13-valente) e 1 ano após fazer uma dose da vacina polissacarídica 23-valente.
– Vacinação de crianças acima de 5 anos e adultos abaixo 65 anos: é indicada somente para pessoas com certas condições clínicas (Ex: Anemia falciforme; imunodeficiência congênita ou adquirida; implante coclear; doença pulmonar, cardíaca, hepática ou renal crônica; alcoolismos etc). Nestes casos, os 2 tipos de vacina são indicados.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre.
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Gestantes (considerar a possibilidade nos grupos de risco; um médico deve ser consultado)

DOENÇA MENINGOCÓCICA

1 – DOENÇA
Doença grave causada pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo), é transmitida de pessoa para pessoa por contato próximo (via respiratória). O meningococo apresenta vários sorogrupos na natureza, sendo os sorogrupos A, B, C, W e Y os mais frequentemente associados à doença invasiva, podendo causar meningite e infecção generalizada (septicemia) em qualquer faixa etária.
A doença meningocócica é frequentemente uma doença de evolução rápida, com alta morbidade e mortalidade associadas.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“Todas as crianças a partir dos 2 meses de idade devem se vacinar contra o meningoco. Como a doença não tem predileção por faixa etária, adolescentes e adultos também devem se vacinar.”
Existem 3 tipos de vacina anti-meningocócica (que são complementares):
. Vacina anti-meningocócica C conjugada
. Vacina anti-meningocócica ACWY conjugada
. Vacina anti-meningocócica B
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir dos 2 meses de idade:
. devem receber 2 doses da vacina anti-meningocócica C conjugada (aos 2 e 4 meses) |+ 1 dose de reforço da vacina aos 12 meses de idade ou 3 doses da vacina anti-meningocócica ACWY conjugada (aos 2, 4 e 6 meses) + uma dose de reforço da vacina aos 12 meses de idade.
. devem receber também 3 doses da vacina anti-meningocócica B (aos 2 , 4 e 6 meses) e 1 dose de reforço da vacina aos 12 meses de idade.
– Adolescentes de 11 a 15 anos de idade:
. devem receber 1 dose da vacina anti-meningocócica ACWY conjugada e 1 dose de reforço aos 16 anos de idade
. devem receber também 2 doses da vacina anti-meningocócica B, com intervalo mínimo de 1 mês
– Adultos:
. devem receber 1 dose da vacina anti-meningocócica ACWY conjugada
. devem receber também 2 doses da vacina anti-meningocócica B, com intervalo mínimo de 1 mês

3- QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação alérgica grave a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Gestantes (somente com liberação médica).
– Crianças abaixo dos 2 meses de idade 

FEBRE AMARELA

1 – DOENÇA
Doença viral transmitida por mosquitos, a Febre amarela compromete órgãos vitais e pode ser grave e fatal.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“Todas as crianças a partir dos 9 meses, adolescentes e adultos (até 59 anos de idade) devem se vacinar.”
Existem 2 tipos de vacina contra a Febre amarela:
. Vacina de dose plena ou inteira
. Vacina de dose fracionada
Esquema de vacinação:
A Organização Mundial da Saúde considera atualmente que apenas uma dose da vacina de dose plena, a partir dos 9 meses de idade, é suficiente para conferir proteção por toda a vida, recomendação esta adotada hoje pelo Ministério da Saúde do Brasil.
Viajantes se dirigindo ao Brasil:
– O Brasil exige o “certificado internacional de vacinação contra a febre amarela” de todas pessoas a partir dos 9 meses de idade que estejam vindo dos seguintes países: Angola e República Democrática do Congo.
– O Brasil recomenda que todas as pessoas entrando em nosso país devem fazer a vacina contra a Febre amarela.
Viajantes saindo do Brasil:
– O “certificado internacional de vacinação contra a febre amarela” é exigido somente pelos países onde existe a transmissão ou o risco da transmissão da doença. Ex: Angola, Austrália, Bahamas, Bolívia, China, Costa Rica, Egito, Índia, Indonésia, Tailândia, entre outros.
IMPORTANTE: A vacinação de viajantes deve ser feita até 10 dias antes da viagem e a vacina utilizada deve ser a vacina de dose inteira.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes, incluindo ovo (vide bula).
– Gestantes e mulheres que estão amamentando crianças menores de seis meses de idade (considerar a vacinação somente em caso de alto risco de adquirir a doença; nestes casos uma liberação médica é necessária).
– Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de medicação / tratamento imunossupressor.
– Crianças abaixo dos 9 meses de idade e adultos a partir dos 60 anos (considerar a vacinação entre 6 meses e 9 meses de idade e acima de 60 anos somente em caso de alto risco de adquirir a doença; nestes casos uma liberação médica é necessária).

GRIPE

1 – DOENÇA
A Gripe é uma infecção respiratória aguda causada por subtipos de um vírus chamado Influenza. Tem como principais características o aumento do número de casos no outono e no inverno, alta transmissibilidade e período de incubação extremamente curto, o que propicia o surgimento dos surtos da doença.
Embora a maioria das pessoas se recupere em alguns dias, com repouso e medicação sintomática, algumas pessoas desenvolvem complicações graves, que podem colocar a vida em risco e até mesmo resultar em morte.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“Crianças até 5 anos, adultos a partir dos 65 anos, gestantes e portadores de doenças crônicas apresentam um risco aumentado de desenvolver complicações da Gripe e são alvo prioritário das campanhas de vacinação.
Entretanto, como a Gripe pode acometer todas as pessoas, a vacina é universalmente recomendada a partir dos 6 meses de idade, sendo a medida mais eficaz para a prevenção da doença”.
Existem 2 formulações de vacina contra a Gripe:
– Vacina contra a Gripe trivalente: protege contra 3 subtipos do vírus Influenza (2 subtipos A e 1 subtipo B)
– Vacina contra a Gripe tetravalente: protege contra 4 subtipos do vírus Influenza (2 subtipos A e 2 subtipos B)
Esquema de vacinação:
– Crianças entre 6 meses e 9 anos incompletos: Caso estejam sendo vacinados pela 1ª. vez, devem receber 2 doses da vacina com intervalo de 1 mês entre as doses. Caso já tenham se vacinado em ano anterior, devem receber 1 dose anual da vacina. A vacina utilizada pode ser a vacina contra a Gripe trivalente ou tetravalente.

– A partir de 9 anos de idade, adolescentes e adultos: devem receber 1 dose anual da vacina. A vacina utilizada pode ser a vacina contra a Gripe trivalente ou tetravalente.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Crianças abaixo dos 6 meses de idade.
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre (incluindo a Gripe).
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes, incluindo ovo (vide bula).

HEPATITE A

1 – DOENÇA
Doença causada pelo vírus da Hepatite A, transmitido pela ingestão de alimento e/ou água contaminados por fezes de pessoas infectadas. A Hepatite A pode acometer todas as faixas etárias e caracteriza-se por alteração da função hepática, febre, dor muscular, náuseas e icterícia (amarelamento da pele e conjuntivas).


2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO

“A vacina é recomendada para todas as pessoas, a partir de 1 ano de idade”.
Existem 2 formulações de vacina contra Hepatite A:
– Vacina isolada: Vacina contra a Hepatite A
– Vacina combinada: Vacina contra as Hepatites A e B
Esquema de vacinação:

– Crianças: devem receber a 1ª. dose da vacina a partir dos 12 meses de idade e a 2ª. dose 6 meses após a 1ª. dose. A vacina utilizada na infância normalmente é vacina isolada: Vacina contra a Hepatite A. Entretanto, caso a criança não tenha tomado a vacina contra a Hepatite B, a vacina combinada também pode ser usada: Vacina contra as Hepatites A e B.
– Adolescentes e adultos: Caso não tenham sido vacinados anteriormente, devem receber 3 doses da vacina, sendo a segunda e a terceira doses 1 e 6 meses após a primeira dose, respectivamente. Pode ser usada a Vacina contra a Hepatite B ou a Vacina contra as Hepatites A e B.


3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças abaixo de 12 meses de idade.
– Gestantes (considerar a possibilidade nos grupos de risco; um médico deve ser consultado)

HEPATITE B

1 – DOENÇA
Doença causada pelo vírus da Hepatite B, é transmitida por sangue e derivados sanguíneos, sendo atualmente considerada uma doença sexualmente transmissível (DST). Além da doença aguda, a Hepatite B pode causar complicações a longo prazo como cirrose hepática, câncer de fígado e morte.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“A vacina é recomendada para todas as pessoas, a partir do nascimento”.
Existem 2 formulações de vacina contra Hepatite B:
– Vacina isolada: Vacina contra a Hepatite B
– Vacina combinada: Vacina contra as Hepatites A e B
Esquema de vacinação:
– Crianças: devem receber a 1ª. das três doses da vacina já nas primeiras 24 horas de vida e a segunda e a terceira doses, 1 e 6 meses após a 1ª. dose, respectivamente. A vacina utilizada abaixo de 12 meses de idade é a vacina isolada: Vacina contra a Hepatite B. Após os 12 meses de idade, pode-se usar a Vacina contra a Hepatite B ou a Vacina contra as Hepatites A e B.
– Adolescentes e adultos: Caso não tenham sido vacinados anteriormente, devem receber 3 doses da vacina, sendo a segunda e a terceira doses 1 e 6 meses após a primeira dose, respectivamente. Pode ser usada a Vacina contra a Hepatite B ou a Vacina contra as Hepatites A e B.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Gestantes (somente com liberação médica). 

HPV

1 – DOENÇA:
Doença sexualmente transmissível mais comum em todo o mundo. Causada pelo Papiloma vírus humano (HPV), geralmente não apresenta sintomas, o que resulta em altos índices de transmissão sem o conhecimento e coloca o HPV entre os principais causadores de câncer de colo do útero, anal, peniano e de orofaringe (garganta).

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“A vacinação contra o HPV deve ser feita por todo adolescente e adulto jovem, sendo fortemente recomendada na pré-adolescência (antes do início da vida sexual)”.
Existem 2 formulações de vacina contra o HPV:
– Vacina contra o HPV / quadrivalente: protege contra 4 subtipos do vírus
– Vacina contra o HPV / bivalente: protege contra 2 subtipos do vírus
Esquema de vacinação:
– Pré-adolescentes e adolescentes (entre 9 e 14 anos de idade): o esquema vacinal prevê 2 doses da Vacina contra o HPV / quadrivalente (com intervalo de 6 meses) ou 3 doses da vacina Vacina contra o HPV / bivalente (com intervalos de 1 e 6 meses da 1ª. dose).
– A partir dos 15 anos de idade: o esquema vacinal prevê três doses da vacina (com intervalos de 1-2 e 6 meses da 1ª. dose), podendo ser usada a Vacina contra o HPV / quadrivalente ou a Vacina contra o HPV / bivalente. 

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação alérgica grave a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças abaixo dos 9 anos de idade
– Mulheres acima de 45 anos e homens acima de 26 anos ( Vacina contra o HPV / quadrivalente).
– Pessoas do sexo masculino ( Vacina contra o HPV / bivavalente).
– Gestantes (somente com liberação médica).

HERPES ZOSTER

1 – DOENÇA
Doença causada pelo mesmo vírus da Varicela (ou Catapora), o Varicela zoster, caracteriza-se por erupção cutânea vesicular, normalmente unilateral, que segue o trajeto de um nervo, por este motivo costuma ser bastante dolorosa. O Herpes zóster é mais frequente em pessoas a partir dos 50 anos de idade e em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido por doenças (como o câncer) ou por uso de certos medicamentos (como esteroides ou quimioterapia).
IMPORTANTE: Uma em cada cinco pessoas permanece com dor cutânea mesmo após o desaparecimento da erupção, fato conhecido como “neuralgia pós-herpética”.


2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“A vacina contra o Herpes zoster é indicada para todo adulto a partir dos 60 anos de idade, com ou sem história anterior de ter tido Varicela ou de ter se imunizado contra a Varicela”.
Esquema de vacinação:

– Adultos a partir de 60 anos de idade: uma dose única da vacina contra o Herpes zoster (A vacina pode ser feita a
partir dos 50 anos).

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus
componentes (vide bula).
– Gestantes (somente com liberação médica).
– Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de
medicação / tratamento imunossupressor.
– Pessoas que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses

POLIOMIELITE

1 – DOENÇA
A Poliomielite é uma doença infectocontagiosa aguda, causada por três tipos de Poliovírus (I, II e III). Apresenta-se na maioria dos casos de forma assintomática ou com sintomas inespecícos, mas em 5 a 10 % apresenta-se de forma grave, com quadro de paralisia importante, geralmente das pernas, que pode levar sequela permanente e até a morte, caso a paralisia atinja a musculatura respiratória ou a infecção atinja o cérebro.


2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO 

“Toda criança entre 2 meses de idade e 5 anos deve ser vacinada contra a Poliomielite. Crianças mais velhas e adultos também devem se vacinar em situações específicas (viajantes para áreas endêmicas).
Existem 2 tipos de vacina contra a Poliomielite:
– Vacina anti-pólio oral (OPV / Sabin) : de uso oral
– Vacina anti-pólio inativada (IPV / Salk): de uso injetável
Existem várias formulações da vacina anti-pólio inativada:
– Vacinas indicadas abaixo dos 7 anos de idade:
. Vacina tetravalente (DTaP + Polio / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
. Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite e Haemophilus b
. Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite, Haemophilus b e Hepatite B
– Vacinas indicadas a partir dos 7 anos de idade (incluindo adultos):
. Vacina tetravalente (dTap + Polio /uso adulto): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma só formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:

– Crianças: Todas as crianças menores de cinco anos de idade devem ser vacinadas conforme esquema de vacinação de rotina e na campanha nacional anual.
– Crianças a partir de 2 meses de idade: devem receber 3 doses da vacina (aos 2, 4 meses e 6 meses) e 2 doses de reforço (entre 12-15 meses e entre 4-6 anos de idade). A vacina utilizada nesta faixa etária pode ser uma vacina combinada (Ex: Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil) ou Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib
+ Hepatite B / uso infantil) ou uma vacina isolada (Ex: Vacina anti-pólio oral).
IMPORTANTE: Todas as crianças abaixo dos 5 anos de idade, independentemente de estarem em dia com a vacina contra a pólio (de acordo com o Calendário Vacinal), devem participar das “Campanhas Nacionais de Vacinação contra a Poliomielite”.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

– Vacina anti-pólio oral (OPV / Sabin)
– Crianças com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre – Crianças com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças com deciência do sistema imunológico, incluindo portadores do vírus HIV.
– Crianças abaixo de 6 semanas de vida ou a partir dos 5 anos de idade
– Crianças que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses
– Gestantes
– Vacina anti-pólio inativada (IPV / Salk):
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças abaixo de 6 semanas de vida ou a partir dos 7anos de idade (para vacinas combinadas de uso infantil)
– Crianças abaixo dos 7 anos de idade (para vacinas combinadas de uso adulto)
– Pessoas com história de doença neurológica (Ex: convulsão, encefalopatia) no caso de vacinas combinadas contendo a vacina contra a Coqueluche – consultar um médico
– Gestantes

RAIVA

1 – DOENÇA
Doença viral fatal transmitida através da mordedura de animais domésticos e silvestres contaminados. Morcegos, cachorros, gatos, gambás, gado e cavalos são os maiores transmissores da doença.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“Toda pessoa que for potencialmente exposta ao vírus da raiva, seja por motivos profissionais seja por uma exposição única (Ex: mordedura por animal potencialmente transmissor do vírus) deve ser vacinada”.
Vacina utilizada: vacina contra a raiva (célula Vero)
Esquema de vacinação:
– Vacinação pré-exposição: A vacinação antes de haver a potencial infecção (mordedura) é indicada para pessoas que apresentam um risco aumentado de exposição ao vírus da raiva, como certos profissionais (Ex: veterinários) ou viajantes (turismo ecológico).
. Este esquema vacinal prevê 3 doses da vacina, com intervalos de 7 e 21 dias após a primeira após a 1ª. dose respectivamente. Caso o risco de infecção permaneça, recomenda-se ainda uma dose de reforço da vacina a cada 3 anos. Caso a pessoa vacinada seja mordida por um animal potencialmente transmissor da raiva, uma avaliação médica é necessária para a complementação do esquema de imunização.
– Vacinação pós-exposição: Indicada após haver a potencial infecção (mordedura). O esquema de vacinação pós-exposição ao vírus deve ser avaliado caso a caso.
IMPORTANTE: Dependendo da gravidade da exposição ao vírus da raiva, o uso do soro ou da imunoglobulina anti-rábica pode ser necessário.

3- QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
Como a raiva é uma doença fatal, a pessoa exposta ao vírus da raiva deve ser vacinada a despeito de quaisquer doenças ou alergias que possa ter.  

ROTAVÍRUS

1 – DOENÇA
Gatroenterite infecciosa que atinge principalmente bebês e crianças pequenas, provocando diarreia intensa e vômitos que podem levar à desidratação, sendo um dos principais motivos de hospitalização nos primeiros anos de vida.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
A vacina é indicada para todas as crianças a partir de 2 meses de idade até 5 ou 6 meses de idade (dependendo do fabricante).
Existem 2 tipos de vacinas contra o rotavírus:
. vacina monovalente (contra 1 cepa do vírus): autorizada para uso de 6 – 24 semanas de vida
. vacina pentavalente (contra 5 cepas do vírus): autorizada para uso das 6 – 32 semanas de vida
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir de 2 meses de idade: devem receber 3 doses da vacina pentavalente (2, 4 e 6 meses de idade) ou 2 doses da vacina monovalente (2 e 4 meses de idade).
Como existe um limite rígido de idade máxima que a criança pode receber estas vacinas (vacina pentavalente = 32 semanas de vida / vacina monovalente = 24 semanas de vida) é mandatório que não haja atraso no esquema vacinal.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Crianças com doenças infecciosas em fase aguda ou com febre
– Crianças com história de reação grave (incluindo reação alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Crianças com história de doença gastrointestinal crônica.
– Crianças com deciência do sistema imunológico, incluindo portadores do vírus HIV.
– Crianças acima de 32 semanas de vida (no caso da vacina pentavalente) e 24 semanas de vida (no caso da vacina monovalente).
– Crianças que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses 

RUBÉOLA

1 – DOENÇAS
A Rubéola é uma doença viral aguda, altamente transmissível de pessoa a pessoa por via respiratória, que evolui com febre alta e erupção cutânea. A gravidade se dá quando ocorre em gestantes (principalmente nas primeiras 16 semanas de gestação) podendo resultar em aborto espontâneo, morte fetal ou na temida Síndrome da Rubéola Congênita (surdez, cegueira e retardo mental do bebê).

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“A Rubéola pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a partir dos 12 meses de idade”.
Existem 2 formulações de vacina contra a Rubéola, todas combinadas # :
– Vacina tríplice viral: vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola
– Vacina tetra-viral: vacina contra Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma única formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:
– Crianças: devem receber a primeira dose da vacina a partir dos 12 meses de idade e a dose de reforço com um intervalo mínimo de 3 meses (aos 15 meses ou entre 4-6 anos de idade). Pode-se usar tanto a vacina tríplice viral quanto a vacina tetra-viral.
– Adolescentes e adultos (nunca vacinados e que nunca contraíram a doença): devem receber 2 doses da vacina, com intervalo mínimo de 1 mês entre elas. A vacina de escolha é a vacina tríplice viral.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes, incluindo ovo (vide bula). – Crianças abaixo dos 12 meses de idade (considerar a vacinação a partir dos 9 meses como dose extra em casos específicos).
– Gestantes ou mulheres em fase de lactação. – Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de medicação / tratamento imunossupressor.
– Pessoas que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses

SARAMPO

1 – DOENÇAS
O sarampo é uma doença viral aguda, altamente transmissível de pessoa a pessoa por via respiratória, que evolui
com febre alta, erupção cutânea e comprometimento do estado geral, podendo causar complicações graves
como pneumonia, encefalite e morte.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“O Sarampo pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a
partir dos 12 meses de idade”.
Existem 2 formulações de vacina contra o Sarampo, todas combinadas # :
– Vacina tríplice viral: vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola
– Vacina tetra-viral: vacina contra Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma
única formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:
– Crianças: devem receber a primeira dose da vacina a partir dos 12 meses de idade e a dose de reforço com um
intervalo mínimo de 3 meses (aos 15 meses ou entre 4-6 anos de idade). Pode-se usar tanto a vacina tríplice viral
quanto a vacina tetra-viral.
– Adolescentes e adultos (nunca vacinados e que nunca contraíram a doença): devem receber 2 doses da vacina,
com intervalo mínimo de 1 mês entre elas. A vacina de escolha é a vacina tríplice viral.

 3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus
componentes, incluindo ovo (vide bula).
– Crianças abaixo dos 12 meses de idade (considerar a vacinação a partir dos 9 meses como dose extra em casos
específcos)
– Gestantes ou mulheres em fase de lactação.
– Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de
medicação / tratamento imunossupressor.
– Pessoas que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses

TÉTANO

1 – DOENÇA
O Tétano é uma doença causada pela toxina da bactéria Clostridium tetani, presente na poeira de áreas urbanas e rurais. A infecção ocorre através de ferimentos, normalmente profundos e de difícil higienização. A toxina provoca contraturas musculares dolorosas, que normalmente começam nos músculos da face, podendo evoluir com paralisia generalizada e convulsões. Uma, em cada 5 pessoas que adoece, morre.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
“O Tétano pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a partir dos 2 meses de idade.”
Existem várias formulações de vacina contra o Tétano. As mais usadas são as vacinas combinadas # contra outras doenças:
– Vacinas indicadas abaixo dos 7 anos de idade:
. Vacina tríplice bacteriana (DTaP / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular
. Vacina tetravalente (DTaP + Polio / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
. Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite e Haemophilus b
. Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular, Poliomielite, Haemophilus b e Hepatite B
– Vacinas indicadas a partir dos 7 anos de idade:
. Vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular
. Vacina tetravalente (dTap + Polio /uso adulto): vacina combinada contra Difteria, Tétano, Coqueluche acelular e Poliomielite
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma só formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir de 2 meses de idade: devem receber 3 doses da vacina (aos 2, 4 meses e 6 meses) e 2 doses de reforço (entre 12-15 meses e entre 4-6 anos de idade). Normalmente a vacina utilizada nesta faixa etária é uma vacina combinada. Ex: Vacina pentavalente (DTaP + Polio + Hib / uso infantil) ou Vacina hexavalente (DTaP + Polio + Hib + Hepatite B / uso infantil)
– Adolescentes e adultos: devem receber no mínimo 1 dose da vacina tríplice bacterina (dTap / uso adulto), mesmo tendo sido vacinados na infância.
OBS – O reforço da vacina contra o Tétano e a Difteria deve ser feito a cada 10 anos, podendo ser utilizada a vacina dupla (dT) ou a vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto)
– Gestantes: devem receber 1 dose da vacina tríplice bacteriana (dTap / uso adulto) a cada gestação

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula). – Crianças abaixo de 6 semanas de vida ou a partir dos 7 anos de idade (para vacinas de uso infantil)
– Crianças abaixo dos 7 anos de idade (para vacinas de uso adulto)
– Pessoas com história de doença neurológica (Ex: convulsão, encefalopatia)
– consultar um médico

TUBERCULOSE

1 – DOENÇA
A Tuberculose é uma doença bacteriana causada pelo Mycobacterium tuberculosis (também conhecido como
bacilo de Koch), que afeta prioritariamente os pulmões mas pode também acometer outros órgãos como rins,
ossos, meninges etc.
A tuberculose é transmitida via respiratória e os principais sintomas da forma pulmonar são: tosse persistente,
febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e fadiga.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO
A vacina BCG (bacilo de Calmette & Guerrin) é indicada de rotina para a prevenção da Tuberculose em crianças a
partir do nascimento. Caso não tenha sido feita ao nascimento, deve ainda ser feita até os 5 anos de idade, pois
nesta faixa etária apresenta boa proteção contra as formas graves da doença (miliar e meníngea).
Esquema de vacinação:
– Crianças a partir do nascimento até os 6 anos de idade (incompletos): dose única

 3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO
– Crianças com peso inferior a 2 kg
– Presença de doença eruptiva em fase aguda
– Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (incluindo pessoas HIV+ sintomáticas) ou em uso de
medicação / tratamento imunossupressor.

VARICELA (OU CATAPORA)

1 – DOENÇA
Doença causada pelo vírus Varicela zoster, a Varicela caracteriza-se por uma erupção cutânea vesicular altamente transmissível de pessoa a pessoa por via respiratória ou pelo contato com o fluido das vesículas. A principal complicação da Varicela é a infecção bacteriana das lesões de pele, o que pode ser grave. Toda pessoa infectada pelo vírus da Varicela pode desenvolver em algum momento da vida uma segunda doença chamada Herpes zoster.

2 – QUEM E QUANDO DEVE SER VACINADO 

“A Varicela pode acometer todas as faixas etárias, por este motivo a vacina é indicada para todas as pessoas a partir dos 12 meses de idade.”
Existem 2 formulações de vacina contra a Varicela:
– Vacina isolada : Vacina contra contra a Varicela
– Vacina combinada # (vacina tetra-viral): contra Sarampo, Caxumba, Rubéola e Varicela
# As vacinas combinadas possuem dois ou mais tipos de vacinas contra doenças diferentes combinadas em uma única formulação possibilitando, em uma só aplicação, a proteção contra várias doenças.
Esquema de vacinação:

– Crianças: devem receber a primeira dose da vacina entre 12-15 meses de idade e a dose de reforço entre 4-6 anos de idade. Pode-se usar tanto a vacina contra a Varicela quanto a vacina tetra-viral.
OBS – No caso de exposição ao vírus (contato com pessoa doente, surto em creche ou escola), o intervalo entre as duas doses pode ser reduzido para um mínimo de 3 meses.
– Adolescentes e adultos (nunca vacinados e que nunca contraíram a doença): devem receber 2 doses da vacina, com intervalo mínimo de 1 mês entre elas. A vacina de escolha é a vacina isolada contra a Varicela.

3 – QUEM NÃO DEVE SER VACINADO

– Pessoas com doenças infecciosas em fase aguda (incluindo tuberculose ativa não tratada) ou com febre
– Pessoas com história de reação grave (incluindo alérgica) a uma dose anterior da vacina ou a algum de seus componentes (vide bula).
– Gestantes ou mulheres em fase de lactação.
– Pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico (Ex: HIV/AIDS, câncer entre outras) ou em uso de medicação / tratamento imunossupressor.
– Pessoas que receberam transfusão de sangue (ou plasma ou imunoglobulina) a menos de 3 meses

PODCAST PROPHYLAXIS

PROPHYLAXIS News